Saúde CUIDADO REDOBRADO

Saúde estadual chama atenção para o diagnóstico e prevenção da bronquiolite

Enfermidade é comum nesta época do ano para crianças de até dois anos de idade

11/07/2024 09h00 Atualizada há 2 semanas
Por: Redação
Foto: Governo de Goiás
Foto: Governo de Goiás

A bronquiolite é uma infecção respiratória que afeta crianças, geralmente durante períodos de mudanças climáticas marcados por grande amplitude térmica e baixa umidade. O diagnóstico é exclusivo para crianças de até dois anos de idade e começa a se apresentar com um chiado no peito.

Segundo a infectologista pediátrica do Hospital Estadual de Doenças Tropicais Dr. Anuar Auad (HDT), uma das unidades que administram tratamento da enfermidade em Goiás, Ludmilla Guilarducci, os sintomas podem começar como uma síndrome gripal, geralmente acompanhada de coriza e obstrução nasal. A criança pode apresentar tosse seca, mas é crucial ficar atento ao padrão respiratório, observando sinais como esforço, fadiga e retrações. Os pais devem estar atentos aos sinais de alerta, como respiração rápida, obstrução da respiração durante o sono ou apresentação de uma cor azulada nas extremidades dos dedos das mãos ou pés e também dos lábios.

Ludmilla Guilarducci destaca a importância da prevenção especialmente nos períodos do ano em que a bronquiolite é mais comum, evitando ambientes fechados e aglomerados e mantendo as crianças longe de locais com muitas pessoas. Ela ressalta a importância da higiene pessoal e da vacinação em dia, não apenas para prevenir a bronquiolite, mas também outras doenças respiratórias, como pneumonia. É importante destacar que bronquiolite e pneumonia são doenças diferentes. Enquanto a bronquiolite é uma doença obstrutiva causada por um vírus, a pneumonia é um processo infeccioso no tecido pulmonar.

De acordo com a médica, é fundamental evitar visitas de pessoas doentes ou com sintomas respiratórios, especialmente para bebês menores de dois meses, pois eles possuem um sistema imunológico mais frágil. A infectologista destaca duas formas principais de prevenção contra a bronquiolite: o uso de anticorpos específicos (recomendados para bebês prematuros, cardiopatas ou com problemas pulmonares) e as vacinas. Existem duas novas vacinas disponíveis no mercado, uma destinada a idosos e outra indicada também para as gestantes. Ainda que estejam disponíveis no mercado, as vacinas ainda não são distribuídas pelo SUS.

O principal agente causador da bronquiolite é um vírus respiratório conhecido como sincicial respiratório (VSR), responsável por 58% dos casos graves, seguido pelos vírus influenza, responsáveis por cerca de 25% dos casos, e pelo vírus da Covid-19, responsável por 8% dos casos (Fiocruz). Outros vírus também podem causar este quadro, entre eles: metapneumovírus, adenovírus, vírus parainfluenza, vírus influenza, rinovírus e boca vírus.

Cenário 

O HDT registrou de janeiro até o momento 35 casos de bronquiolite. No mesmo período do ano passado, de janeiro a junho, foram registrados 21 casos. Em todo o ano de 2023, a unidade atendeu 56 crianças com essa enfermidade. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), Goiás registrou este ano 1.472 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em crianças menores de 2 anos. Desses casos, 864 (59%) foram causados pelo principal agente da bronquiolite, o Vírus Sincicial Respiratório (VSR). Em 2023, Goiás registrou 2.682 casos de SRAG nessa mesma faixa etária ao longo do ano, sendo 727 (27%) causados pelo VSR.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.