Anápolis DECISÃO

Adolescente suspeito de envolvimento na morte de estudante em Anápolis responderá em liberdade

TJGO aguarda nova investigação de delegacia para entender o real envolvimento do menor

12/06/2024 08h00 Atualizada há 1 mês
Por: Redação
Foto: Marcelo Santos
Foto: Marcelo Santos

Após recurso da Defensoria Pública, o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás (TJGO) decidiu que o adolescente suspeito de envolvimento na morte de um estudante em Anápolis responderá em liberdade. O crime aconteceu no dia 20 de fevereiro, próximo ao Colégio Estadual Leiny Lopes de Souza, no bairro Calixtópolis.

Além do menor, a mãe dele, de 43 anos, e o irmão, de 20, também respondem pelo ato. De acordo com juiz Carlos José Limongi Sterse, titular do Juizado da Infância e Juventude da comarca de Anápolis, o TJGO acatou a solicitação para que a Delegacia de Polícia de Apuração de Atos Infracionais (Depai) apurasse novas provas.

O objetivo, segundo o magistrado, é entender a real participação do menor no “ato infracional”. “Eu tinha mantido a internação provisória do adolescente, a Defensoria Pública recorreu e o Tribunal de Justiça soltou. O que quer dizer isso? Ele continua respondendo o processo, porém em liberdade”, explicou.

De acordo com Limongi, somente após as novas apurações da Depai que será possível ter uma real dimensão do que deverá ser feito na audiência de instrução e no julgamento. Podendo, o menor, voltar a ser internado, absolvido ou receber uma nova medida.

“É difícil dizer agora, depende do envolvimento no ato infracional. É muito prematuro dizer agora, antes de todas as provas e das audiências de instrução e julgamento”, afirmou o juiz.

Relembre o caso

No dia 20 de fevereiro de 2024, um adolescente, de 14 anos, foi assassinado a golpes de faca após a aula no Colégio Leiny Lopes, no Calixtópolis, bairro da região Sudoeste de Anápolis. Câmeras de segurança flagraram o início da briga generalizada, que segundo a Polícia Civil, foi “marcada” na porta da unidade escolar.

Os suspeitos do homicídio foram presos pouco tempo após a ação, sendo a mãe, de 43, e os dois filhos, um de 20 e outro de 16 . A época, PC detalhou que os adolescentes estavam em uma live, na noite anterior, jogando “Free Fire”, quando houve o desentendimento que resultou na briga, no dia seguinte. 

Em depoimento à polícia, a mulher e filho maior de idade confessaram o crime. O rapaz alegou que o irmão estava recebendo ameaças e quando eles foram buscar o adolescente, os colegas de escola iniciaram a briga. A responsável por levar a faca que provocou a morte foi a mãe, de acordo com depoimento da mesma.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.