Política ELEIÇÕES MUNICIPAIS

Justiça suspende página "Direita Tangará" por disseminar fake news em Silvânia

Decisão também prevê que Facebook informe dados dos responsáveis pelo conteúdo difamatório contra políticos da cidade

08/06/2024 12h27
Por: Redação
Foto: Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução/Facebook

Uma página no Facebook conhecida como "Direita Tangará" foi suspensa pela Justiça em virtude da disseminação de notícias falsas envolvendo vereadores e pré-candidatos ligados à oposição do prefeito de Silvânia, Geraldo Santana. A decisão determina a remoção imediata do conteúdo devido ao seu caráter de desinformação e ao anonimato dos responsáveis.

A página, que se apresenta como uma fonte de notícias políticas, é acusada de espalhar informações enganosas e difamatórias com o intuito de prejudicar a reputação de figuras políticas locais. Entre as alegações falsas estão acusações de corrupção e comportamento antiético.

Autor da ação, o advogado eleitoralista Wandir Allan, que representa o Partido da República (PR), explica que, além da suspensão da conta, os responsáveis poderão responder criminalmente. "Nós entramos com uma ação cautelar para suspender a página. Não foi só remover o conteúdo, a página toda foi suspensa, em razão de estar sendo utilizada exclusivamente para essa finalidade. Também foi determinado ao Facebook que informe os dados eletrônicos que possibilitarão a localização e a identificação do local de onde eram feitos esses dados", esclarece ao DM Anápolis.

O especialista diz que o anonimato não impedirá que os responsáveis sejam identificados e punidos. "Tudo o que se faz deixa rastros, vestígios. Com as ferramentas corretas, conseguimos identificar esses vestígios. Fica o alerta tanto para o cidadão quanto para os candidatos, que esse tipo de comportamento pode trazer uma grande dor de cabeça", aponta.

A expectativa do advogado é que os donos da página sejam responsabilizados tanto no âmbito penal - por calúnia, injúria e difamação - quanto no âmbito cível e eleitoral. "De modo a deixar muito claro que esse comportamento não será tolerado", reforça.

Por fim, Wandir Allan destaca que a disseminação de fake news no contexto eleitoral causa prejuízos em todo o processo democrático, não somente para os candidatos atacados. "Quando você permite esse nível de desinformação, acaba contaminando o próprio exercício do voto porque ele acontece em um ambiente que não é legítimo. Deixa de ser tão somente uma questão pessoal, de ofensa, honra de determinado candidato, e passa a ser um ataque sistêmico à própria democracia", conclui.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.