Anápolis MOBILIDADE URBANA

Viaduto do Recanto do Sol tem previsão de entrega para outubro, afirma prefeito

Naves confirmou em entrevista que a obra em questão será finalizada ainda neste ano, mas a ponte estaiada deve demorar um pouco mais

05/06/2024 19h00
Por: Aglys Nadielle
Foto: Prefeitura de Anápolis
Foto: Prefeitura de Anápolis

A obra do aguardado Viaduto do Recanto do Sol, trincheira que passará sob a BR-153, tem previsão para ser entregue ainda em outubro deste ano. A estimativa foi dada pelo próprio prefeito Roberto Naves (Republicanos) em entrevista à Rádio Manchester nesta quarta-feira (05).

Em andamento desde março, quando foi dada a ordem de serviço, a construção, segundo Naves, está a todo vapor. “Nós estamos trabalhando ali em uma frente de trabalho, como uma frente de trabalho e uma perfuração já ficou pronta, a outra está 50%, mas eu quero duas frentes de trabalho, eu quero separar ali em zona norte e zona sul para que a gente possa dobrar a velocidade daquela obra. Então é uma obra que eu estou com muita tranquilidade em poder dizer para a população que a gente entrega até o final do ano”, disse.

“O viaduto do Recanto do Sol nós vamos entregar em outubro, a previsão é para outubro. Vou ter uma reunião amanhã [quinta-feira] com a empresa que está fazendo. Vocês já devem ter observado que são quatro escavações para que a obra realmente seja interligada por baixo, a BR-153 vai passar por baixo, quem vai sair do Recanto do Sol para ir para a Brasil vai passar por cima”, detalhou.

A intervenção viária é um sonho antigo da população, que sofre há décadas com um tráfego intenso e engarrafamentos no único acesso ao bairro. A obra, originalmente, era de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), do governo federal. Depois de a trincheira não ter sido incluída no contrato de concessão à Ecovias do Araguaia, o prefeito decidiu assumir a construção. 

A Ponte Estaiada Edenval Ramos Caiado, por outro lado, não deve ser entregue neste ano, ficando para 2025. Roberto afirma que a construção, que terá 298 metros de extensão e cerca de 80 metros de altura da base ao topo, exige maior complexidade, por isso o prazo é mais extenso.

“A ponte estaiada é impossível ficar pronto esse ano, até mesmo porque é uma obra de extrema complexidade, então é uma obra lenta, uma obra complicada de ser realizada então está tudo acontecendo dentro daquilo que foi programado no que diz respeito aos repasses financeiros, a velocidade da obra, mas é uma obra que fica pronta no ano que vem”, declarou.

O projeto vai viabilizar a  ligação entre as avenidas Brasil Sul e Pedro Ludovico (Polocentro — Morumbi). Com investimento superior a R$ 125 milhões, a obra é considerada a maior obra do Estado de Goiás da última década.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.