Política PESQUISA

Gomide tem 33,33%, seguido de Márcio Corrêa com 7,06% e Márcio Cândido com 6,25%

Pesquisa do Instituto Cerrado ouviu 819 eleitores nos dias 12 e 13 de março, nos cenários estimulado, espontâneo e rejeição

25/03/2024 07h00 Atualizada há 3 meses
Por: Orisvaldo Pires
Foto: Arte/DM Anápolis
Foto: Arte/DM Anápolis

Com 33,33% das intenções de voto na pesquisa estimulada, o deputado estadual Antônio Gomide (PT) mantém a liderança na disputa pela Prefeitura de Anápolis, nas eleições deste ano, com ampla vantagem sobre os demais postulantes, segundo levantamento realizado pelo Instituto Cerrado/Anápolis (GO), realizada nos dias 12 e 13 de março de 2024. Esta é a segunda pesquisa divulgada pelo DM Anápolis neste ano eleitoral.

A cartela apresentada pelo entrevistador do Instituto Cerrado, no momento da pesquisa, além de Gomide, traz os nomes de Amilton Filho (MDB), Eugênio Lourenço (PSOL), Hélio Araújo (PL), Hélio Lopes (PSDB), Leandro Ribeiro (PP), Lisieux Borges (PSB), Márcio Cândido (PSD) e Márcio Corrêa (MDB).

Da segunda à quarta posição há um empate técnico, em que a diferença entre o 2º para o 4º colocado é de apenas 1,89 pontos percentuais. Márcio Corrêa tem 7,06% das intenções de voto, seguido por Márcio Cândido, com 6,25%; Amilton Filho, com 5,45%; e Leandro Ribeiro (5,17%). Os demais candidatos estimulados somam, juntos, 4,28%. Ao todo 22,95% dos entrevistados disseram não saber em quem votar, 8,18% dizem que vão votar nulo, 1,47% em branco e 5,86% não opinaram.

O cenário mostrado pela pesquisa, se confirmado nas urnas, garantiria a eleição de Gomide ainda no 1º turno. A soma das intenções dadas aos demais nomes é de 28,21%, abaixo dos 33,33% do postulante petista. O alto grau de desconhecimento da grande maioria dos pré-candidatos e a indecisão dos ‘caciques’ da política refletem de forma considerável no desenho do atual cenário.

O Instituto Cerrado realizou 819 entrevistas com eleitores de Anápolis, em diferentes bairros e regiões da cidade. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral (TRE/GO), sob o número GO-03548/2024. O nível de confiança é de 95% e a margem de erro de 3,5 pontos percentuais para mais ou para menos.

 

Cenário espontâneo demonstra indecisão de 81% dos eleitores

A pesquisa espontânea mostra que 81,29% dos entrevistados ainda não sabem em quem votar. Assim, o levantamento revela que o campo está aberto a todos os postulantes. É no quantitativo de indecisos, neste caso revelado a mais de seis meses da eleição, que as coordenações de campanha costumam concentrar forças. Neste cenário Antônio Gomide continua na liderança, com 9,99% das intenções de voto. Com 1,82%, em segundo lugar, aparece Márcio Corrêa.
O terceiro nome mais lembrado pelo eleitor é do prefeito Roberto Naves (Republicanos), que recebeu 1,33% das indicações. Seguido de Márcio Cândido, com 0,97%. Na sequência aparecem Amilton Filho (0,85%), Leandro Ribeiro (0,73%), Pedro Sahium/PDT (0,36%), Hélio Araújo (0,24%), Eugênio Lourenço (0,24%), Major Vítor Hugo/PL (0,12%), Gustavo Mendanha/MDB (0,12%) e Vivian Naves/PP (0,12%).

Neste cenário, o eleitor dá sinais de que ainda não tem conhecimento acerca de quem são os pré-candidatos a prefeito. Entre os fatores que podem explicar essa condição de indecisão, estão o calendário eleitoral e as pré-campanhas ainda tímidas.

 

Gomide tem maior rejeição e, de novo, pode enfrentar desgaste do seu partido

O líder da pesquisa nos cenários estimulado e espontâneo, é também o pré-candidato que tem a maior rejeição. Dos entrevistados pelo Instituto Cerrado 20,63% disseram que não votariam, de jeito nenhum, em Antônio Gomide. Algo natural pelo fato de ser o mais conhecido entre os demais e já experimentado no poder. Mas que também é impactado pelo antipetismo, numa cidade onde o conservadorismo cresceu nos últimos anos.

Em seguida, abaixo dos dois dígitos, aparece Márcio Cândido, com 3,91% da rejeição. Aparece empatado tecnicamente com Amilton Filho (3,91%) e Márcio Corrêa (2,08%). Os debutantes em pleito majoritário têm rejeição abaixo de 2%: Leandro Ribeiro (1,95%), Lisieux Borges (1,47%), Eugênio Lourenço (1,34%), Hélio Araújo (1,10%), Richelson Xavier/PL (0,98%) e Hélio Lopes (0,85%). A quantidade de quem não rejeita ninguém é interessante: 38,10%. Enquanto 6,59% disseram que rejeitam todos os nomes.

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.